quarta-feira, dezembro 05, 2007

Racista, eu?

Descobri que sou racista! Isto a fazer fé neste texto, e tudo por causa deste, que eu publiquei e ao qual continuo a não retirar nem uma vírgula.

Vão-me desculpar, eu não escrevo muito bem, mas com esta acusação descubro também que não sei ler! Mas onde é que esta fulana vê o racismo? Por defender a língua portuguesa? É que não estou mesmo a ver... mas deve ser defeito da leitura que faço!

Ou então a senhora faz confusão entre racismo e xenofobia, que de modo algum são sinónimos, pelo que aconselho uma consulta urgente de um dicionário de Língua Portuguesa.

Racista eu? Xenófoba eu? Para escravo aqui no Inferno qualquer alma me serve! Hehehehehehe (agora vai dizer que quero fazer dela escrava, e que a escravatura já era e tal e coisa... melga) .

Oh Diabbo, meu pai, dai-me paciência, porque se me deres força eu tridento-a toda!

Adenda: o link para onde remeto no texto, foi apagado. A "a verdade" fez o favor de salvar o texto original, se tiverem paciência, podem lê-lo: é o 5º comentário.

Obrigado "a verdade", sejas lá quem fores.



29 comentários:

" Jota Nuno ® " disse...

Gosto mais de patinhas... vermelhas.

Gostos nao se discutem!

Bjos digitais (esta é minha...) ;-)

Van Dog disse...

Estou de acordo contigo - há por ali muita confusão de conceitos...

O Livreiro disse...

Há gente muito parva, para não dizer burra, que não sabe ler e gosta mais do brasileiro.

Rafeiro Perfumado disse...

Olha, descobri que também sou racista e xenófobo. E desconfio que também tenho uma unha encravada...

A verdade disse...

Ela apagou o texto do flickr:
Salvei-o a tempo: Lets fight racism!!!Antes de mais nada: amigos portugueses não temam! Eu continuo ouvindo fado, tomando vinho português e comendo bacalhau. Sim tenho bisavô português. Sim amo Portugal, mesmo que Portugal não me ame. Sim, um dia eu volto ;)

Eu dificilmente faço post em português, mas dessa vez é importante por dois motivos:

1.Apesar de racismo, xenofobia e afins estarem impregnados em quase todos os países “desenvolvidos”, ultimamente Portugal e Brasil tem tido uma relação muito estranha. Logo, acho que o assunto só interessa a nós, pelo menos neste exato momento
2.Muitos colegas de flickr pensavam que eu era portuguesa uma vez que boa parte dele é recheado com fotos de lá.

Sabe, nascer no Brasil é um misto de felicidade e angústia. Felicidade porque somos talentosos, trabalhadores, fortes, inteligentes, felizes e honestos. Sim honestos. Embora a mídia (de cá e de lá) insista em mostrar apenas as mazelas, temos muito mais aspectos positivos do que negativos. A diferença é que somos muitos, mas muitos mesmo. Para se ter uma idéia, a população de Portugal cabe na cidade de São Paulo e com folga. Portanto, o número de roubos e situações violentas é imensamente maior. É uma continha bem simples que qualquer um sabe fazer. A angústia vem de uma série de fatos que todos nós conhecemos e que é bem grave em relação à desigualdade social, violência e falta de acesso a itens básicos como comida e educação.

E ainda assim conseguimos produzir tanta coisa boa. Portanto, sempre que leio portugueses falando mal do meu país e do meu povo fico mais revoltada do que se fosse um americano, inglês ou italiano. Porque sim, eles nos descobriram. Eles nos trouxeram sua cultura, sua história, seu sangue. Só que muitos insistem em esquecer que nos tiraram também – e bastante. Sinceramente eu nem vou me dar ao trabalho de listar porque todos nós sabemos.

Todo mundo me pergunta o que eu achei da minha visita a Portugal. Eu sempre falo a verdade. É um país bonito, tem uma comida fantástica e o fado, ah o fado... Mas o racismo ao qual a minha família foi submetida é inacreditável. A tristeza no rosto de cada imigrante brasileiro que lá mora é de partir o coração. Não encontrei um que não chorasse e me dissesse que o sonho é voltar para o Brasil. Porque lá eles continuam a serem escravos, ganhando bem menos do que os europeus e trabalhando bem mais. Para os europeus xenófobos, esses imigrantes são os culpados do desemprego. Lamento informar que o culpado é o compatriota que prefere explorar o imigrante e não pagar um salário justo para o profissional competente, europeu ou imigrante. Recentemente uma amiga, casada com um brasileiro filho de portugueses, foi morar em Lisboa (com o seu gaijo evidentemente). Nem ele, de família portuguesa, agüentou. Em setembro, partiram para Dublin após 7 meses em Portugal. E essa história tem se propagado.

Tenho amigos portugueses que moram no Brasil. Tenho amigos portugueses que moram em Portugal. Sinto sinceramente que somos irmãos. Mas ainda existem aqueles que insistem em achar que são melhores, mais desenvolvidos e que nós devemos dar um graças à colonização. Evidentemente que quem fala isso nunca foi colonizado.

Mas a sra. “Diabba” achou que expressar o seu racismo era a melhor forma de defender o “não” da reforma ortográfica. Eu também sou pelo não, mas não pelos motivos dela. Eu sou adepta das nossas próprias peculiaridades que nos tornam tão parecidos e tão diferentes de quem nos “descobriu”. Eu sou pelas pequenas diferenças que tornam nosso convívio mais interessante. Eu sou pelas diferenças que nos unem e não nos afastam. Eu sou pelo direito de ser brasileira e ainda assim ser irmã de uma portuguesa linda e de cachinhos ruivos.

Eu sou por mim, pela minha família e pelo meu povo. E o meu povo mora aqui e em Portugal.

Um dia, as “Diabbas” da vida entenderão quanto tempo perderam em nos insultar e nos combater.

Apesar de uma amiga (portuguesa gira, inteligente e justa) achar que não devíamos expor o link - para que a sra. Diabba não receba visitas - eu acho que racismo só se combate de uma forma: com educação.

Não podemos fingir que não existe. Não podemos aceitar. Não podemos nos calar.

Em tempo, meu comentário deixei no blog de um português querido que nos defendeu. Muito do que eu digo é agressivo e pode entristecer alguns. Mas eu sei bem o que disse, sei bem porque disse e sinceramente minhas palavras sempre têm um alvo certeiro. Dessa vez é essa senhora com cheiro de enxofre.

Bongop disse...

Ainda oje tentei escrever com o novo português... mas é um fato a que eu não me abituo ! :-P

Vício disse...

D. Mephista Anacleta, tens por aí um lenço para limpar as lágrimas à verdade?

brasileiros, eu gosto muito de vocês... no Brasil!

Rita disse...

A Verdade,
Ainda bem que o conseguiste salvar porque eu já não fui a tempo.
Obrigada

Diabba,
-Fucka-se mas o que é que a Sra. leu no teu post que originou aquela anormalidade toda que escreveu e a maneira como ficou tão ofendida??? Com certeza não lemos o mesmo post. Por outro lado todos nós já percebemos que eles não conseguem entender o que nós dizemos.
-Oi?!?
Jokas

Hydrargirum disse...

Impressionante, desde qd o defender da nossa língua é tido como racismo?...

Qd se quer implicar, qq motivo pequeno serve....

E agora aposto que o tema "escravatura" vai dar pano para mangas!....Mas tu és mais forte que isto não és?....O Enxofre faz maravilhas...(nos outros!coff coff!)...

Pronto, descobri o teu blog...já me ri, já participei, e gostei:) Voltarei com sua Mefistofélica licença:)

htsousa disse...

WTF?! Deve ter uma cana de açúcar encravada no cérebro! (Isto sim, é um comentário racista!! :D)

Alf disse...

O que vale é (tem acento?) que há (tem "h"? e acento?) racistas atentos que salvam pérolas (tem acento?) da literatura que autores consagrados, num acto (e não ato) de excentricidade resolvem destruir. Se assim não fôra (tem acento?) perderia esta pérola (tem acento?).

Serei xenófobo(tem acento?)? É (tem acento?) que temabém (tem acento?) escrevi sobre o tema...

Mulheka disse...

Sinceramento... não vejo onde tá o racismo no teu outro post. Nem racismo nem... xenofobia (provavelmente era isso que ela queria dizer lol). A gaja deve ter a mania da perseguição. Eu ontem ainda consegui ler o post publicado no blog dela!

Enfim....

A verdade disse...

No blog do Melões salvei algumas pérolas da rapariga entretanto já apagadas. Todas elas repletas de preconceitos:

«Já que Portugal é tão bom vocês podiam fazer uma campanha para parar de falar mal do País. Vocês são os principais propagadores de suas deficiências. Talvez também eu tenha voltado com um ranço em relação aos portugueses. É bem possível, tive motivos.»

«Fiquei espantada em quanto o Brasil é evoluído em produtos, serviços e conhecimento em comparação com quem nos "descobriu". Uma pena não termos sido colonizados pelos espanhóis, holandeses, italianos e alemães. Sofro pelos meus amigos portugueses esclarecidos que entendem melhor a dinâmica das relações e que existem pessoas boas e más, independentemente da nacionalidade. Quando estive em portugal li tantas notícias sobre corrupção como cá. Talvez até no roubo nós sejamos melhores.»

Ninica disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Ninica disse...

A tipa realmente passou-se!!!!
Sim, que eu não li nada disso, deve ter lido outro post diferente do que eu li... é que eu também critico aquela maneira de escrever, se é que se pode chamar isso!
Beijo, e obrigadinha pelo mail!

Pai Natal disse...

Realmente há coisas que valem a pena apoiar...

espreita e vê no que podes ajudar:

O Pai Natal precisa da nossa ajuda...

Os putos agradecem:

www.esteanovouseropainatal.blogspot.com/


Cumprimentos natalícios

PEIXE disse...

é verdade...já tinha reparado e já andava a algum tempo pra te dizer a mesma coisa......lolll

Olá!! disse...

Vamos arder no inferno... hahaha

Belzebu disse...

Eu conhecia os Sem-Terra mas fiquei agora a saber que existem também os Sem-Juízo, os Sem-Vergonha, os Sem-Óculos e os Sem ponta por onde se lhes pegue!

Mas afinal o que é que leu essa sambista das grandes causas, que a levasse a concluir que és racista e xenófoba? A menos que as diferenças linguísticas sejam muito maiores do que eu pensava.

Afia o tridente e vai-te a ela que nem gato a bofe!

ehehe!! Aquele abraço infernal!

Men in Rose disse...

racista não, mas boa deves ser, boa como a diabba hihi

Teté disse...

Percebo que tenhas ficado irritada, mas se a mulher é maluca, porque é lhe dás importância? Tridenta-a, mas é!

Insaciável disse...

Confesso que não tive paciência para ler nem metade das baboseiras que a "piquena" escreveu mas li muito divertida os comentários dos seguidores do teu inferno.

Se a TVI descobre a moça brasileira, convida-a para escrever a proxima novela. Já estou a imaginar a Deborah Secco, com um ranço de amor, a falar com o seu bisavô português, o manel sobre os crimes que existem em portugal.

Numa coisa a menina tem razão. Diz ela (no meio de tanta palermice): "E ainda assim conseguimos produzir tanta coisa boa.". E tem razão: assim de repente lembro-me das caipirinhas...

Diabba e eu achar que os cromos da blogosfera iam todos parar ao meu blog...afinal andas a fazer-me concorrência ;-)

beijos

Diabba disse...

J,
Gostas de patinhas vermelhas? Mas o quê... patinhas de camarão?

VD,
Uma cabecinha que faz tal interpretação só pode estar confusa!

Livreiro,
É natural que os brasileiros gostem de ler as coisas conforme as escrevem, mas começo a suspeitar que só sabem ler em português do Brasil, que é muito diferente do nosso.

A verdade,
Suspeito de quem sejas, obrigada por teres guardado o texto. A mim não me ococrreu tal coisa, até porque nunca pensei que a tal Flavita, que defendia a posição que assumiu com tanta gana, o apagasse!

Bongop,
Ocê vai acabar conseguindo, chará!

Bício,
Já te disse que estou, realmente, a desenvolver uma veia xenófoba??

Rita,
Não sei como conseguiu chegar a tal conclusão, mas é preciso muita imaginação para chegar às conclusões a que a rapariga chegou! (sim, “rapariga” no Brasil é uma injúria) hihihihihihi

Hidrargirum,
Descobri que os brasileiros têm uma sensibilidade acima da média. Eles falarem mal de nós, podem! Contarem anedotas sobre nós, em que somos todos burros e mulheres de bigode, podem!
Nós, fazermos textos onde estejamos a defender a nosso língua, não podemos!! Porque isso é racismo, e por tal motivo é inaceitável.

Htsousa,
Pena que a cana não lhe esteja é engravada na garganta, ou nas unhas, assim não escreveria tolices.

Alf,
Não tens vergonha?? Não sabes que escrever algo que ofenda o (des)acordo ortográfico é quase uma crime de lesa-magestade?? Queres ser degredado?

Mulheka,
Ela foi rápida a apagar aquilo! Grunfff, não fosse alguém ter salvo o texto e eu, ainda passava por mentirosa!

A verdade,
Obrigada, mais uma vez.

Ninica,
A rapariga é tonta, mas deve ter percebido isso, uma vez que apagou o texto!
Já provaste o resultado? Quase me apetece auto convidar-me para tua casa, no dia em que “sonhares”! hehehehehe

Pai Natal,
Que fique claro que só falo consigo por pura graxa, espero um presente decente!! (casa com piscina e quintal para fazer patuscadas com algumas almas terrenas).
A ideia é boa, mas não vai ter muitos aderentes. Na tugolândia a malta não tem $$ nem para mandar cantar um cego!

Peixe,
Ahhhhhhhhh ainda te asso, oh bacalhau em perigo! Grunfff

Olá,
Eu já cá estou, agora no Inverno é até bastante confortável! Hehehe

Belz,
Colega, a gaija num merece nem uma tridentadela, isso queria ela, acho que me está a dar graxa para eu a chamar ao Inferno!

Men in Rose,
Boa?? Eu? Nunca!!
Eu não tenho nada de bom! Estás a tentar estragar-me a fama? Ai a cumbersa...

Teté,
Coitada, pronto já lhe dei os 5 minutos de atenção, vou mas é fazer um post novo para me livrar deste assunto!

Insaciável,
Confesso que também me custou a ler o texto, quando um amigo fez o favor de mo enviar, mas enfim... falem mal de mim, mas falem!! Hehehehehe
Querias os cromos todos só para ti, era?? Egoísta!

Anónimo disse...

Desculpem lá a seca, odeio ter que me armar em moralista, mas quando me dão estes vapores de diabo honorário, não me consigo calar...só lamento ter visto este post demasiado tarde.

Mas anda tudo com falta de sexo ou quê?? Eu ando, mas não pensava que fosse mal geral...agora deu-lhes para o linchamento infernal, foi?

Lá porque uma luso descendente, na 3ª geração, veio refilar por causa dum mal entendido, sim, não percebeu a língua, como tal não entendeu o conteúdo, eh, eh... não vamos aqui, fazer a apologia dos coitadinhos dos infernos, lá daquele cantinho sub-desenvolvido, prá beira-mar chutado, e que tudo querem aproveitar para fazer mais um churrasco bem carbonizado, rico em radicais livres.

A vitimizada até tem razão, num certo nº de pontos.

Estamos a ficar racistas contra os zucas.

Sim, é verdade. É pena, mas é um facto. O que ouço no dia-a-dia, no trabalho, entre amigos e conhecidos, vai de encontro a essa teoria. Pode ser um fenómeno até ligeiro, mais localizado em alguns aglomerados urbanos do que noutros e restrito a certas zonas do país.

Tem-se observado ao longo dos ultimos anos, e tem os seus fundamentos.

Como se já não bastasse, a quantidade estonteante de novelas que nos impingiram (as nossas TV's, não eles, que não tiveram culpa que lá fossem comprá-las), que ao longo dos tempo gerou algum efeito boomerang, devido por um lado a uma maneira de ser e forma de estar na vida, claramente diferente da nossa, e que nem sempre chupamos, também a língua e o seu sotaque ( pôrra, aquilo cansa os ouvidos!), levaram a uma saturação, em relação a tudo o que é zuca E, claro está, que raramente nos demos ao trabalho de separar o trigo do joio.

Pior que as novelas, tem sido o facto de em poucos anos, nos terem inundado, invadido, com o que de menos bom, tinham por lá. Sim, porque diz-se que o Brasil tá "assim" de gajas boas! Pois está... veio alguma para Portugal? Não sei bem...umas quantas...poucas...quantas são louras de olhos verdes? Nem as primas da Giselle Bundschen sabem onde isto fica...e o que é que elas vieram pra cá fazer...? andam por aí nos jornais, nos antros de prazer...pois é,...mas ainda bem, porque que o parque nacional, da gama mais baixa, andava nas horas da amargura, e não dava para as encomendas. O mal, é que numa sociedade nhurra, e de aparências da treta como a nossa, isso não ajuda em nada à imagem.

Mas isso nem é o pior, o pior é que a tal maneira de ser e fazer, "aquele jeitinho" veio atrás.
E mais pior mau ainda: adivinhem onde é que eles se foram todos instalar? Pois é...nos melhores pontos da costa, nas melhores praias!
Costa da Caparica, já não se anda á vontade à noite, nem de dia, desde o dia D em que foi invadida. A linha de Cascais? Xiça, ...odasse...ainda estamos em Portugal? Nem parece! Então e a Ericeira? O Algarve??? Vejam lá se eles se foram instalar no interior do país, como fizeram muitos do leste europeu?

Epá...é assim...o que é demais é moléstia. Para um país que não estava habituado a ter imigrantes, e que em poucos anos chegou a este ponto, a coisa só não ficou mais preta porque continuamos a ser de brandos costumes.

Sim, porque embora continue a acreditar que a maioria dos brasileiros, são, honestos (dentro do seu conceito de honestidade, que é diferente do nosso, mas é a vida, aquilo lá não dá para essas coisas, senão não se sobrevive), trabalhadores, inteligentes e tal e coiso, têm que reconhecer, que daquilo que cá nos chegou, não veio, nem bom vento nem bom casamento. Antes as espanholas e os espanhóis, de longe!!!

É verdade que o Brasil produziu e produz muita coisa boa, a todos os níveis, e num patamar claramente superior ao português, na maior parte dos casos. Faça-se justiça!

Mas, a Portugal, para além de emigrantes e futebolistas, pouco mais chega. Temos as caipirinhas, o samba, o futebol e o carnaval, para além das notícias das desgraças. Há pois, tava-me a esquecer, e as intermináveis novelas dos infernos! Desculpa lá, ó Diabba, que não tens culpa nenhuma.

Nós cabemos todos no sapatinho do Brasil. Pois é, é verdade, somos mesmo minúsculos, então, por favor, não mandem pra cá mais, que nós já tamos a rebentar pelas costuras.
Principalmente, não nos mandem os gabirús, as GP's mais fanhosas, os mafiosos, os assaltantes que matam a troco de coisa nenhuma, os preguiçosos, aqueles que no fim de conseguirem alugar uma casa para dois, conseguem lá enfiar o resto da família e os amigos e conhecidos, que não pagam a renda, e no fim, quando se vão embora, ainda deixam a casa semi-demolida.
Não mandem pra cá aquelas meninas, que trabalham aí nas lojas das grandes áreas, e que quando recebem em mão, candidaturas a lugares de emprego, para as lojas onde trabalham, fazem por auto-recreação sua, uma pré-selecção, em que todos os candidatos não zucas, são inexoravelmente excluídos (currículos pró lixo). Fiquem por lá com aquela malta da vigarice barata, do golpe do baú, das falsas espíritas, falsos curandeiros e outros do género...

Penso também, que se tentassem adaptar-se à nossa maneira de estar na vida, mais facilmente melhorariam a imagem que têm por cá.

Os brasileiros cá, ganham menos e trabalham mais que os outros. Quanto ao trabalhar mais, lamento duvidar, mas deve haver muitas excepções à regra. Ganham menos...há pois ganham! e os outros emigrantes também. Em todo o lado, no mundo inteiro, com raras e honrosas excepções. Não é invenção nem exclusivo nosso.

A imagem dos zucas em Portugal é má? É, só podia ser, e a dos tugas no Brasil? O repertório de anedotas mostra que só pode ser excelente, mas ainda assim havia uma diferença de peso.
É que os tugas no Brasil, por muito grunhos, nhurros, ignorantes e de vistas curtas que fossem, na sua maioria mataram-se a trabalhar até chegar a algum lado, outros trabalharam a vida toda e não chegaram a lado nenhum. Mas não chegaram com toda a certeza, aos níveis de vida fácil e desonestidade que um grande nº de zucas em Portugal, chegou.
Pensavam que isto era uma América que falava português? Nos States ninguém dá nada a ninguém, aqui ainda levam uns subsídios quando se legalizam, e as legalizações foram dadas em barda, como nunca, mesmo sem os requisitos mínimos, o que permite a muitos, andarem na praia a coçar, á conta dos nosso impostos. Ainda se queixam?

Para terminar, vamos à língua: português é português; brasileiro, é uma língua que tem por base a língua portuguesa, que evoluiu de forma independente, e é hoje uma combinação de várias línguas, dialectos nativos e mistura de palavras portuguesas com americanas que resulta numa grande mixórdia. É uma língua, bem mais rica que a portuguesa, e se quiséssemos uniformizar a coisa a sério, teríamos que importar para Portugal mais um dicionário do tamanho das páginas amarelas.
E uma coisa é certa, não estão à espera que eu vá substituir a minha chita por um guepardo qualquer, pois não? ...nem o frigorífico pela geladeira??

Desenganem-se aqueles que ficaram com a idéia de que somos racistas. Os portugueses no geral, e enquanto povo, nunca foram genuinamente racistas. A imagem que os brasileiros têm vindo a criar por cá, nos ultimos anos, é que não os ajuda em nada. E como sempre, o justo, paga pelo pecador.

Portanto, se hoje se sentem mal por terras lusas, lembrem-se que é o efeito pernicioso, daquilo que alguns (muitos) têm vindo a semear.

Laredo disse...

Desculpem lá o anonimato do comentário (tratado) anterior, problemas de login, acho eu...

iFrancisca disse...

Sou nova por cá e não consegui ler o comentário até ao fim já é muito tarde...
gostei do blog vou voltar beijinhos

Alien David Sousa disse...

Minha querida Venenosa, descobri que também sou racista! :O O que ainda é mais grave sendo eu uma Alien.

Subscrevo o teu post.
Li com atenção o texto da senhora em questão e a esta diria apenas duas coisas.

A) Também tenho amigos brasileiros que vivem em Portugal e desculpe lá, não sei por onde andou mas os meus amigos sentem-se muito bem em Portugal e não pretendem regressar ao Brasil porque aqui tem uma vidinha decente e sim!, são felizes. Se pensar bem, se estes fossem assim tão infelizes, porque raio viriam mais brasileiros para Portugal? Por serem masoquistas? Não me parece.

"A tristeza no rosto de cada imigrante brasileiro que lá mora é de partir o coração"


Talvez lhe custe admitir que os brasileiros se sentem bem aqui em Portugal e NEM SEQUER pensem em regressar
como mencionou.
A violência no Brasil - eu li tudo com atenção - tomou proporções inconcebíveis e os brasileiros estão a fugir do seu próprio país.
Desculpe lá, mas infelizes? Anda a ler o livro errado.


B)Racismo no post da Diabba? Só se for lido com olhos ignorantes.
A língua Portuguesa, não TEM de se adaptar aos brasileiros...desculpe mas eu não quero escrever "abrasileirado", quero continuar a escrever Português.

É isto que a Dibba sublinhou.

Existem escolas no Brasil, certo? Então há que aprender a escrever como deve ser, em vez de
transformar a nossa língua em algo estupidamente ridículo.


Desabafei Diabba... um beijinho vermelha

Eskisito disse...

O que eu achei mais interessante foi mesmo o uso das expressões "Ranço" e "Gaijos" por parte da rapariga. Estas não são, claramente, expressões portuguesas de Portugal?
Beijos e defeca nisso

Azul disse...

Gostei da narrativa, está bonita, sei lá, utiliza termos absolutamente fantásticos, mas disso já o Mestre aqui falou...

Esta malta não tem mesmo nada para fazer.

Eu recomendo vivamente a essa alma dedicar-se futuramente á escrita.Quem sabe não venha a tirar o podium á M.R.P.!!!!

Plágio encapotado. Ler post de 10.Abril.2011.