terça-feira, agosto 24, 2010

Pé-na-cova

Os humanos já não me espantam em nada, mas há coisas neles, que são, realmente, giras.



Posso até compará-los a vampiros (uns primos simpáticos, mas com um mau gosto atroz, no que diz respeito à bebida), pois vivem, alimentam-se, da infelicidade alheia, da doença, dos males do mundo.


Alguém está feliz? Arranjou um amor que o/a completa? Oh pah, é ver as carpideiras “ahhh não vai dar certo”, “com aquele ar e ainda não tinha sido pescado/a, algum defeito deve ter”, “coitadinha/o, não merecia tal sorte, vai ser encornada/o, até à quinta casa” etc etc etc


E se a relação visada acaba?? Ohhh felicidade das felicidades “eu sabia”, “eu estava a adivinhar”, e o eterno “eu bem avisei”. Fucka-se… não há cu para esta gente! Deixem as outras pessoas viver. Errar (e quando se ama não há erros - ama-se, e pronto) é um direito.


Alguém está doente? Cum escafandro, é a felicidade total, e quanto pior a doença, melhor, mais felicidade, e motivos de conversa. Já alguém assistiu a conversas entre humanos/carpideiras nos centros de saúde? São de ir às lágrimas. Quem ouvir aquelas almas parece que vivem numa leprosaria, e batem palmas sempre que cai mais um dedito, ou o nariz fica no lenço durante a assoadela…


Vão-se curar sim? E se se começassem a regozijar com a felicidade alheia? Isso é que era!!


E já agora, e se se fossem ver ao espelho?

7 comentários:

bombas disse...

Há muitas coisas que me fazem feliz, uma delas é ver os outros chorar... outra é de ver gente a morrer... ................................................................................................................................................................................................................. ...de tanto rir e/ou de felicidade....

Mas o mal que descreves não é geral, é o que nos safa... Há muita gente como eu....

ψ Psimento ψ disse...

Vês a falta que fazem os psicólogos?? Para esse tipo de doentes só mesmo nós e os psiquiatras. Claro que está longe de ser só para isso que servimos, mas bem, isto já foi uma conversa que tivemos.
Concordo contigo plenamente principalmente porque vivo na pele o olhar incomodando e chocado de muitas pessoas quando sabem que é com um homem quer quero viver e construir a minha vida. Não que o ande a espalhar pelos sete ventos porque não é preciso andar com isso na testa mas também não me envergonho de nada do que sou. “Pah o que é que têm a ver com isso?? Metam-se na vossa vida!!” É o que me apetece berrar-lhes mas como sou educado limito-me a sorrir para as caras aparvalhadas que fazem…
Esta historia do casamento foi a maior parvoeira de todos os tempos. Isso nem se devia questionar sequer. Eu caso-me com quem eu quiser e as carpideiras, mesmo as carpideiras governamentais em nada deveriam ter a ver com isso…
Beijos.

tronxa disse...

no dia em que essas carpideiras acabarem, que será do mundo, diabba??

eu vejo-as como as moscas... são um animal nojento, chato mas que tem uma função... comerem os dejectos e carnes podres... as carpideiras alimentam-se do mesmo... so nao sei em que são uteis...

enfim, venham de la as moscas!!!!

bjnhsssssssssssss

Rafeiro Perfumado disse...

Não conheces o ditado "o mal comum é meia alegria"? Deve ser por isso que as minhas colegas querem que eu engorde...

ava n'tesma disse...

olha que a democracia não mora aqui...atão o inferno nã é demokratiku
para ir para o céu é qué preciso ser
ψ Psimento ψ disse...
Vês a falta que fazem os psicólogos??
Para esse tipo de doentes DEUSES e afins só mesmo nós e os psiquiatras. Claro que está longe de ser só para isso que servimos

dão para encher covas
e abrir as portas do céu

mãe de dois disse...

Nem mais. Concordo inteiramente. Sinto na pele isso todos os dias.
Raios partam os felizes...

Alien David Sousa disse...

NEM MAIS!!!!

kisses venenosa cor de labareda

Plágio encapotado. Ler post de 10.Abril.2011.