quinta-feira, junho 02, 2011

Festival BD Beja



E pronto, estive no meu Festival de Banda Desenhada favorito - o de BEJA. Não há nada que eu não goste lá, gosto das pessoas, da comida, do ambiente, da descontração dos artistas, que se misturam com a malta, sem estrelismos bacocos. É muito, muito fixe.
No próximo ano, lá estaremos, logo na sexta, para curtirmos mais um bocadinho aquela cidade pacífica, o calor, a cerveja, os caracois (o diabbo-marido fica com esta parte, que a minha mortal é trasmontana de gema, e nem pensa em comer aquelas amostrinhas de... hummm qué qué aquilo? Carne? hummm, bom, num como aquilo e pronto).
Ahhhh lembrei-me agora, há algo que não gosto em Beja, e recomendo que não entrem lá: o Restaurante Alcoforado. Servem mal (o peixe que comi na sexta, suspeito que já tinha uns dias, nem o comi todo, o ultimo bocado sabia mal), são antipáticos, e não têm nada de tradicional da zona. Os artistas queriam provar um licor da terra, e nada, nem o Licor de Poejo!!
Adoro o Professor Baioa Monteiro, homem de muita cultura, e que sabe transmitir como ninguém o seu saber. Este ano mostrou-nos (literalmente) a história do azulejo (pisei um verdadeiro azulejo romano, ahhh pois pisei, se calhar houve um centurião que pisou exactamente aquele mesmo bocadinho que eu). E não se choquem nem venham com o "ahhh é assim que as coisas se estragam, esta gente a pisar azulejos com séculos" pfff o Professor Baioa Monteiro disse "é para pisar, estão no chão, não estão?" E pronto, perdemos logo os salamaleques, e andamos à vontade na capela do claustro onde esteve a Mariana Alcoforado (googlem).
Para o ano acho que vamos falar de pintura, ou então não, que o professor gosta de improvisar. ]:-D
O Paulo Monteiro (director do Festival) é o maior, trabalha que nem um louco, para que tudo fique pronto a tempo e horas. Pelas minhas contas fez uma directa de 48 horas, mas ele gosta tanto do que faz que nem se notava (muito), o quão cansado estava. Sempre a sorrir, e sempre disponível, um exemplo a seguir. (Devia fazer um workshop sobre "como organizar BEM um festival de BD" - há quem precise, eu sei que há).
E pronto, muito fica por contar, comprei 2 livros para ofertar ao Diabbo-marido um com ilustrações lindissimas, de Luis Royo "Prohibited Book 3", e o "Clara de Noite" de Jordi Bernet, Carlos Trillo, e Eduardo Maicas. Já me diverti muitissimo a ler este último. Espero que gostem da história que eu escolhi para ilustrar este post. A Clarinha é uma profissional da mais antiga profissão do mundo, e tudo faz para que todas as fantasias dos clientes sejam satisfeitas. ]:-D

6 comentários:

tronxa disse...

por alguma coisa eu tanto gosto do alentejo!!!

ja vi que passaste um fds em grande!!

bjnhsssssssss

Bongop disse...

Um post GIGANTE!
E tem como base a BANDA DESENHADA!

Tenho uma mulher "geeka"! VIVA!

Amo tu munto!
:*

Teté disse...

Ui, ainda bem que avisaste que estava em curso, a ver se dou lá uma saltada! :)

A história está 5 estrelas! :D

Beijocas enxofradas!

Alien David Sousa disse...

Só um detalhe;foste disfarçada de quê? Escondeste bem a tua cauda e cornitos? ;)

Beijinhos venenosa cor de labareda

Rafeiro Perfumado disse...

Pfff, aposto que foi um reles decurião a pisar o tal azulejo...

ψ Psimento ψ disse...

Fosse mais perto tinha adorado ir eheheh. beijos

Plágio encapotado. Ler post de 10.Abril.2011.