domingo, agosto 14, 2011

Nosso Lar (??)

Acabei de ler um livro com o título "Nosso Lar", de Francisco Cândido Xavier, conhecido, no mundo do espiritismo, como "Chico Xavier". Sou um ser curioso, sempre fui, gosto de ler sobre diversos assuntos, e nunca dou nada como certo, sendo que sou de opinião de que somos "muito mais do que o corpo transporta" Uma amiga emprestou-me o livro, e... a linguagem é muito básica, simplória até.
Na verdade o Sr. Chico Xavier, que deve ter sido uma pessoa muito agradável para conversar, e certamente acreditava no que a sua imaginação lhe ditava, transformou a imaginação em 16 volumes (haja imaginação), onde um espírito falador, lhe transmitiu tudo o que escreveu.
O tal espírito (André Luiz), foi médico antes de morrer. No mundo do espíritos continuou a tratar, mas desta vez, espíritos doentes.
Mas, (no meu entendimento, claro), supõe-se que um espírito elevado, seja também esclarecido, e devia saber que os espíritos são isso mesmo "espíritos", não pode, enquanto ser espiritual tratar as outras entidades espirituais como homens e mulheres, e recomendar que as mulheres devem obediência aos homens. Então?? Somos todos iguais, mas há uns mais iguais que outros? (como em "a quinta dos animais" de George Orwell).
Tem outras coisas engraçadas, medem o tempo como nós "às 21h00 estávamos cansados mas felizes por termos ajudado", até têm meses como os nossos. E têm "ministérios" com ministros... ou seja com uma organização política, como na terra. Extraordinário.
E o mau gosto para nomes?... uiii suponho que o "nosso lar" era um lar de espíritos brasileiros, tendo em conta os nomes maravilhosos como: Clarêncio, Lascínia, Lísias, Salústio, entre outros do mesmo calibre, e dos quais não me lembro agora.
Parece que foi feito um filme, estreou no Brasil em Setembro de 2010. Não me lembro se passou nas salas de cinema da Tugalândia, suponho que não.
Mas o livro acaba por ter, na generalidade, uma mensagem  boa: diz para os humanos se portarem bem, ou depois têm que enfrentar uns demónios malvados, que lhes transformam a eternidade num inferno.

6 comentários:

MSP disse...

Ainda há quem diga que eu perco demasiado tempo com os jogos do feicebuque!!!!

Teresa disse...

A Quinta dos Animais é agora o título para Animal Farm?No meu tempo era O Triunfo dos Porcos.

A princípio até pensei que este Chico Xavier fosse um que foi tema de um programa de Oprah Winfrey que vi há pouco tempo (nem lhe decorei o nome, fujo destes assuntos), afinal não é. O outro era este:
http://en.wikipedia.org/wiki/Jo%C3%A3o_de_Deus_%28medium%29

Diabba disse...

MSP,
tudo é útil, até os jogos do FB. Esta leitura não foi desagradável, li o livro quase sempre com um sorriso, tal a simplicidade da exposição das ideias (embora se note o esforço de usar palavras fora do comum como "genitora" em vez de "mãe").

Teresa,
Eu sempre achei que o "Triunfo dos Porcos" era (é) o nome do filme (em desenhos animados) baseado no livro "a quinta dos animais".
Já oiço falar de Chico Xavier há anos, como sendo o maior medium de todos os tempos. Tem a credibilidade que lhe quiserem dar.
Confesso que gostava de ter assim uma boa ideia, que geraria milhões, e me faria viver no paraíso antes de morrer. ]:-)

AEnima disse...

E tens my darling... entao... se ele escreveu 16 volumes so do que ouviu dizer um espirito em segunda mao, quanto nao pagarao por ler quem escreve directamente do inferno em primeira?

Herético disse...

Allan Kardeck fez o mesmo que este gajo. Só que Allan é considerado o pai do espiritismo. Muito o bom o livro, e há lá bastantes coisas que têm bastante graça e lógica. Tenta lê-lo, eu gostei bastante.

Giljunior Junior disse...

Diz que leu o livro, porém, não trata o assunto com o devido respeito, já que desconsidera tudo o que o livro expõe.
Chico Xavier escreveu mais de 400 livros, todos sem serem patenteados com seu nome. Livros que venderam aos milhares! Ele não ganhou nenhum centavo de suas publicações... Quando ganhava, doava para entidades filantrópicas.Passar bem amigo, um dia irá compreender porque nas cidades espirituais há o registro do tempo e ministérios, além de mulheres serem "mulheres" e homens serem "homens", mesmo sendo entidades que não têm sexo.

Plágio encapotado. Ler post de 10.Abril.2011.