quarta-feira, julho 23, 2008


«Há um Portugal que trabalha, paga os seus impostos e luta duramente para pagar prestações no fim do mês; e depois há outro Portugal em que demasiadas pessoas vivem subsidiadas pelo Estado, estão no rendimento mínimo como forma de vida, beneficiam de rendas simbólicas e ainda se acham no direito de não as pagar» Paulo Portas

Não sou grande fã do PP, mas tenho que concordar com o supra escrito.

Nunca fui grande adepta da atribuição do rendimento mínimo. Na verdade, se querem distribuir dinheiro, que o façam aumentando as reformas mínimas
(rondam os 240€/mês), será uma forma de compensar quem trabalhou uma vida inteira.

O rendimento mínimo é um incentivo, para muitos, à calaceirice, raros são aqueles que dele precisam realmente
(até porque a maioria trabalha, são feirantes, entre outras actividades...)

Há famílias que recebem cerca de 2.000€
(sim, DOIS MIL) por mês em rendimentos mínimos, porque com falcatruas, falsas declarações, e muita artimanha recebem rendimento mínimo da família toda, mesmo dos que não residem, nem nunca residiram com eles.

Mas, já que tal subsídio à preguiça existe, que seja, pelo menos, fiscalizado.

Que se investigue porque motivo há tanta gente a receber o “rendimento mínimo” mas andam montados em carros de alta gama, último modelo
(é vê-los a chegarem aos Tribunais nos seus belos Mercedes e BMW).

Mas compreendo os fiscais
(que até existem), não estão para se meter numa família de ciganos, verificarem anomalias, e arriscarem o pescoço se derem ordem de corte no desejado subsídio.

Uma coisa é certa, EU pago renda ao banco, EU pago as minhas contas, EU tenho os impostos em dia.

Pergunto porque é que os verdadeiros beneficiados são os que não pagam renda
(e não são despejados), não pagam contas (e não têm medo de ninguém), e nem sabem o que são impostos?

Querem casas de graça? Uma casinha nova sempre que lhes apetece? Eu também gostaria.

E se fossem mas é trabalhar??

Nota: este post é provavelmente um exercício de inveja, por ter um carro muito fraquinho (mas anda).
Nota2: E se vierem para aqui os defensores dos coitadinhos dos ciganos a tentarem atirar-me à fogueira, só tenho uma coisa a dizer: aproveito para me bronzear!

20 comentários:

ana disse...

Este tema deixa-me sempre com muito para dizer...acho que acabas de inspirar um post...quando houver tempo!

Beijos.

ariba disse...

Desculpa, aquela ali de cima sou eu...não sei porque ficou este nome!

Vício disse...

vou reclamar com a minha mãe!
eu também quero ser de raça cigana!

Bongop disse...

(normalmente sou eu que tenhos estes desabafos... )

Rita disse...

Pois, é mesmo uma coisa que me enraivece estes subsídios por dá cá aquela palha e que dão para tudo mas quem realmente trabalha quando precisa leva um belo NÃO da tromba que até anda de lado...
Jokas

xico man disse...

Vim visitar o seu blog e gostei imenso!
BJ

Rafeiro Perfumado disse...

Eu até te respondia, mas tenho de responder! Atá já, magana!

Músico Guerreiro aka Melões disse...

ah pois e... andamos nos a queimar as pestanas e a ficar comm o dito quadrado, a esgotar os neuronios e os outros na boa vida....

Aqui passava-se o mesmo ate ao mes passado... agora os saudaveis que estao no rendimento minimo vao ser forcados a limpar as ruas e grafittis ou perdem o dito

E duro, mas e assim, senao que procurem um trabalho melhor ;)

estes ingleses as vezes pensam

Beijos

Emma disse...

concordo.

Eu tenho pena é daquelas pessoas que trabalham um mês inteiro, para chegar ao final do mês, e terem, aí sim, o verdadeiro MEDO, de não terem dinheiro de pagar as contas todas.
rasparta os parvos q estudam, trabalham, pagam impostos, poupam dinheiro para comprar uma casa...otários.

Alien David Sousa disse...

Ó Dona Venenosa, tu quando queres até que pensas e dizes coisas acertadas. Sim, senhora. O Quaresma é que não vai achar piada nenhuma a este texto quando o ler, ouvi dizer que era um fã teu...ERA ...ERA...lol

Beijinhos Diabinha cor de labareda
p.s se o teu carro é uma lata, podes sempre usufruir da minha nave, claro que vais ter de pagar que eu não dou borlas assim sem mais nem menos. $$$$$$$$

Ácido Cloridrix HCL disse...

Olá, tudo bem??? Desculpe a usurpação do espaço, mas gostaria de te convidar a participar no nosso pequeno inquérito,,,, talvez te interesse,,, Estarás de acordo com o casamento ou adopção entre homossexuais??? Agradecemos a tua opinião, se a quiseres dar em: http://sexohumorprazer.blogspot.com/2008/07/inqurito-de-opinio-casamento-entre.html . Agradecimentos antecipados, HCL

apleman disse...

Concordo plenamente contigo...

JOTA ENE ® disse...

Quero td kium cidadão tem direito, casa, carro topo-gama e não fazer nada. Onde é as inscrições?

Tens k saber, não és tu k mexes em papeis... mas k papeis?

Tás a dar cmg em doido, trabalho honestamente e não tenho a direito a nd.

Bellatrix disse...

eu cá só tenho a dizer que concordo plenamente contigo. Eu vejo disso todos os dias... mas enfim....

bjs

r disse...

A ex do meu marido também recebe o sub. mínimo - 600 mocas, + pensao d alimentos para as duas filhas (aumentada pq teve + 1 filho e coitadinha na trabalha, nem o pai do filho aparece pa dar a cara) + abonos máximos para os 3 filhos + casa da câmara + cresce de graça + ATL de graça e claro + 600/700 mocas q tira a fazer limpezas.

E nós 2 não chegamos a ganhar 3 ordenados mínimos, casa e carro para pagar + seguros, e fazemos 300kms de 15em15 dias pa ver as meninas.

Mas a pobrezinha é ela.

*****************

r disse...

Esqueci-me também nós temos 1 filho, mas como nós trabalhamos, não precisamos de ajudas para nada:(

haryhanne disse...

eu concordo 100% com o que tu escreveste aqui, nunca fui a favor de rendimentos mínimos, há 21 anos atrás+/- eu encontrava-me numa situação de extrema precariedade, com duas filhas pequeninas sem casa onde morar, estando a morar em propriedade pertencente ao ex companheiro que me tinha trocado por outra, e ouvindo todos os dias a fio constantes ameaças de expulsão da casa sem condições onde estava albergada, eu trabalhava, mas o vencimento mal dava para a comida, alias , foi sempre assim a minha vida em Portugal, trabalhar de sol a sol e não ganhar o suficiente para viver condignamente,fui à segurança social de Setúbal pedir ajuda para poder arrendar uma casa, foi-me negado peremptoriamente onde a própria assistente social me disse que davam um chouriço a quem lhes desse um porco, outra ainda mais recente, regressei a Portugal ao fim de 4 anos emigrada num outro país, empreguei-me numa fabrica e requeri abono de família para a minha filha de 11 anos, foi-me negado por não ter rendimentos dos anos transactos, exigiram-me declarações de rendimentos no país onde tinha estado, facultei-lhes tudo quanto me exigiram e mesmo assim nunca me foi atribuído abono de família, em 2007 tive de voltar a abandonar Portugal, porque a minha condição já estava a chegar ao ponto da degradação

Allie disse...

Concordo plenamente. É uma injustiça ve casais novos e com filhos, a esfolarem-se para pagar todas as contas e ainda proporcionar um futuro às crianças e não haver um apoio decente e depois, ver estes tipos, qu nunca pagaram um centimo de imposto, acharem-se com direitos a casa e comida na mesa. Tenho um amigo cuja ãe sofreu um AVC, está acamada, necessita de ajuda para tudo e porque ele e o pai trabalham (e ganham) ainda não conseguiu uma ajuda da segurança social para tratar da mãe. É ele quem tem de a lavar e alimentar. E estes, têm tudo e ainda reclamam! E ainda podia dar mais exemplos... que noticias tristes não faltam.

Alexandre disse...

Ah, já não me infernazava por aqui há uns tempos - mas se algo mudou foi para melhor!

Agora o fundamentalidades estende-se por outros blogues - se quiseres dar uma olhada...

Quanto aos subsídios os portugueses são especialistas em «esquemas»!

Beijokas!!!

Catarina disse...

Se fizermos muito barulho talvez nos deem uma casita de 2 andares e a pagar apenas 25euros de renda (NOT)
Pago as minhas contas e durante muito tempo tive dois trabalhos, no entanto as minhas queridas finanças lembraram-se de mim e não foi para o bem! :/

Plágio encapotado. Ler post de 10.Abril.2011.