quarta-feira, fevereiro 24, 2010

Romeu & Julieta


Tenho tido pouco tempo, para fazer coisas que realmente me dão prazer, e uma delas é ler. Posto isto, e porque não é uma obra imensa, peguei na peça de teatro, de William Shaskespeare, e fui-a lendo aos poucos, aos poucos porque desculpem-me os fãs, aquilo é uma caca.



Ninguém, nem nos finais do século XVI, usaria aquele palavreado todo para dizer coisas tão simples. Mais, compreendo porque motivo ele teve que alterar a obra várias vezes, acrescentar-lhe personagens, é que, ao que li sobre o assunto, a obra era tão má, mas tão má, que nem na época, em que a maioria das pessoas não sabia ler nem escrever, aquilo pegou.


Mas o que me chamou a atenção, foi o evoluir das coisas em termos de direito penal (é deformação profissional, olho sempre para algumas coisas com outros olhos que não os de uma normal leitora).


Assim, pelo que percebi, num diálogo entre o Capuleto (pai da Julieta) e Páris (candidato a noivo da dita), era normal homens  interessarem-se por crianças.


Todo este enredo gira à volta duma menina de 13 anos, senão vejam:


Capuleto: Não posso senão repetir o que já vos disse. A minha filha nada sabe do mundo. Ainda não completou catorze anos. Deixai que mais dois verões extingam o seu explendor para que eu a julgue madura para o matrimónio.


Páris: Outras mais novas que ela são já mais felizes.


Reparem no “outras mais novas que ela são já mais felizes”, ou seja meninas com menos de 13 anos “eram já mais felizes” por terem casado.


Conclusão:


1 – Hoje, o Páris seria perseguido como pedófilo (ver artº 171º do Código Penal - googlem, que a forma de colocar links desapareceu);


2 – Mas que credibilidade tem um amor, coroado por mortes, entre uma criança de 13 anos e um marmanjo armado em Romeu?


3 – Pode ser que no teatro, ao vivo, eles dêem a volta ao texto, e façam algo decente, mas quanto à obra, eu se fosse a vocês evitava lê-la!

8 comentários:

Anónimo disse...

Querida, és uma mulher inteligente e surpreendentemente ousada ao mesmo tempo: resguardando tão bem os teus valores... Gosto muito de ler o que escreves e gostava muito de ser tua amiga no FB, até pelos aplicativos (Farm Town, FarmVille, CafeWorld, Islanda Paradise....) que sempre partilhanmos, com graça.... mas até, E MUITO MAIS, pelos teus comentários (mesmo os mais provocativos) que sempre me impressionaram tão bem... É com pesar que despeço-me de ti por aqui, para não fazer disto um choro facebookiano. Dói-me mesmo deixar-te. Mas respeito tuas amizades, tanto quanto me respeitaste sempre, por isso, hoje, é melhor fechar as janelas, devagarinho... Como um Capuleto faria. Peço perdão mas não queria te apanhar de surpresa, como me fizeram. Acordares, e... de repente eu ter te deletado... não sou assim e não o farei. Espero que entendas os meus motivos, que sabes tão bem. Adoro-te e de vez em quando virei aqui ler-te porque me fazes bem. Mas lá.... como tudo virou... uma coisa chata de amigos acusando outros de espionagem, quando há alguns vivendo coisas que não aprovamos, acho melhor assim... Não me leves a mal , please, OK? Vou saindo de fininho, mas antes mando-te regalos em todos os aplicativos porque mereces. Beijos à Minorquinha ( aquela pirata de uma figa torta) e qdo quiseres me achar tens sempre meu email. Beijinho grande >D

RENATA

tronxa disse...

podias ter-me pedido a opinião e terias ganho umas horas de leitura em vão!!!
eheheheheh

esse gajo é uma SECAAAAA!!!

BJNHSSSSSSSSSSSSS gds

Diabba disse...

Renata,
compreendo, fazes bem. Não fico ofendida, mas garanto-te que, se há espiões, não sou um deles.
beijos d'enxofre

Tronxa,
gosto de ter as minha próprias opiniões. Vou ao teu latifundio no domingo, mas é numa rapidinha!

Teté disse...

Eheheh, bem me parecia que ia sair uma destas... :)))

Nunca li, nem tenciono. Já me bastou o "Amor de Perdição", que dizem as más-línguas o Camilo escreveu em 15 dias para pagar o arrendamento do quarto e que sempre me pareceu uma chacha, tipo Corin Tellado do século XIX! E só o li por ser obrigatório, no liceu!

As pessoas naquele tempo viviam menos anos, portanto era normal as raparigas casarem aos 12 ou 13 anos, com rapazes mais ou menos da mesma idade. Enfim, outras eras...

Beijinhos enxofrados!

Korrosiva disse...

Do tio William, foste logo escolher o piorzinho eheheh
O Hamlet é fixe e há mais uns porreiros

beijinhoss

Imperator disse...

Olá Diabba

pois é querem ver que o Willian tinha assim umas ideias um tanto ao quanto estranhas quando escreveu a história?

AEnima disse...

Nunca li. Ate aprecio o romantismo de algum palavreado rebuscado no teatro - a peca nao foi feita para ser lida em livro - e naquela altura, era o genero literario prevalente.

Desconhecia que a Juli, ma girl, era uma crianca, mas ja imaginava que seria novinha. No fundo, era o tradicional naquela epoca, em que a esperanca media de vida eram 35 anos e o casamento aos 14 a norma. No entanto, nao deixa de ter piada ver os Romeus de hoje em dia com outros olhos.

Beijo

Gio disse...

Foste log oescolher a foto em que o Leonard Whiting está a "mostrar-o-dedo" à mais que bela Olivia Hussey, mesmo por baixo do queixo.
Uma pose infeliz mas que tem a vantagem de dizer o que se pretende sem palavras.
Já disse que a Olivia Hussey era linda? Quando fez de mãe de Cristo no filme de Zefirelli AINDA era linda.

Plágio encapotado. Ler post de 10.Abril.2011.