terça-feira, novembro 27, 2012

Inveja

Manuel Maria Barbosa du Bocage

1765 / 1805

Livro: Sonetos
Tema: Inveja

"Tu, de quantos dragões o Inferno encerra,
És o pior, Inveja pestilente!
Morde a virtude, ao mérito faz guerra
Teu detestável, teu maligno dente."
 
 
Ahhhh a Inveja, esse nobre sentimento, todos a têm, todos a negam. Eu assumo-a.
Tenho inveja do sol, porque brilha
Tenho inveja da lua, pelo sossego
Tenho inveja do ar, porque se eu o fosse, não era para todos
Tenho inveja de quem escreve bem, e tem ideias geniais
Tenho inveja de quem pinta bem (mas não muita, é um trabalho que requer algo que não tenho: paciência)
Em suma: Sou uma invejosa.
 
E está visto que o Bocage já na sua época me conhecia.
]:-)
 

4 comentários:

Teté disse...

Está visto que sim! Dragões e labaredas no Inferno são a tua imagem de marca... :)))

Beijocas enxofradas!

Carlos Rocha disse...

Quem com tamanha sinceridade se confessa não merece castigo.

Chaka Sidyn disse...

Agora já percebi o drama... estes capricórnios! :p

Alien David Sousa disse...

"todos a têm, todos a negam"

Tu pelo menos não a negas! lol Mas olham que o que existe mais por aí são pessoas invejosas e NÃO, não como tu. Verdadeiramnente invejosas ao ponto de passar por cima de quem quer que seja para atinjir algo que anseia.

Kisses diabita cor de labareda

Plágio encapotado. Ler post de 10.Abril.2011.